"Um bom presságio" para Blutengel - Chris Pohl na entrevista.

Acompanhe agora a entrevista que Chris Pohl deu ao SzeneChecker.

Com o seu novo álbum, "Omen" define Blutengel novamente como um sinal e prova mais uma vez que eles são uma parte essencial do cenário dark. O som dark-pop é sua marca registrada e também salva o novo álbum com os candidatos de sucesso. Na entrevista, Chris Pohl fala sobre o novo álbum, planos e também sobre os 15 anos de aniversário da banda.

SzeneChecker: Depois do grande sucesso de "Monument" as expectativas são certamente elevadas. Como você acha que será o novo álbum?

Chris Pohl: Bem, claro que nós achamos que ainda será bem sucedido como "Monument". Temos usado os mesmos ingredientes que o último álbum, o conjunto refinado com novidades, especialidades mais incomuns. O caminho percorrido com "Monument", realizamos constantemente até aqui. O que antes era bastante ousado, é agora um programa para que ousamos transformar outras coisas.

SzeneChecker: O que transmite o seu álbum intitulado "Omen"?

Chris Pohl: Um sinal! Colocamos um sinal em Blutengel, que continuará. Mesmo que a palavra "Omen" é mais provável a ser associada com premonições negativas, deve, contudo, ser visto por nós mesmos e para os fãs como um sinal positivo. Musicalmente, esta é a direção e isso é uma promessa.

SzeneChecker: A capa do álbum mostra uma freira em posição de oração. Como você conseguiu essa idéia?

Chris Pohl: Eu trato no álbum muitas questões que têm a ver com a fé. A questão de quem ou o que é Deus e se Ele lhe da um porque de confiar cegamente nele. O que poderia ser mais adequado do que uma freira que é de fato a representação de absoluta fidelidade de Deus? Além disso, ela é muito sexy.


SzeneChecker: Você é conhecido por seu show no palco ser espetacular. O que aguarda o visitante em sua turnê?

Chris Pohl: Em princípio, o mesmo que na última turnê, apenas diferente. Vamos trabalhar nesse tempo, além de nossas meninas mostrarem novamente projeções de vídeo e expandiremos nossos músicos para um guitarrista ao vivo.

SzeneChecker: Quais são seus planos para 2015?

Chris Pohl: Em primeiro lugar, veremos como o álbum vai chegar. Em seguida, sair em turnê todas as noites em uma semana. Depois disso, os festivais e no outono partir para a segunda parte da turnê. Entre nós, fazeremos o melhor para que possamos alcançar um novo recorde.

SzeneChecker: O vídeo de "Sing" foi feito em Roma. Como surgiu esta idéia, porque este lugar?

Chris Pohl: Eu queria que fosse esse diretor e ele veio de Roma, então tivemos que ir lá também. Na verdade, eu vi um clipe dele e queria trabalhar com ele... Então, quando eu li o roteiro, eu estava convencido de que a decisão foi a mais correta. A história e as fotos da atriz me agradou muito bem e por isso fomos para Roma.

SzeneChecker: Em "Omen" você se dedica a questões, tais como a brutalização da sociedade ("Wir sind, was wir sind") e a União humana ("The War Between Us"). Você determina uma maior imprudência na sociedade?

Chris Pohl: Quem não vê é cego ou morto. O mundo está à beira do abismo ... Todo mundo sabe disso, mas poucos se importam ... Olhe mais para a televisão ... os criminosos estão cada vez mais jovens, uma vida não vale nada, ainda mais pessoas morrem por causa de idiotas religiosos fanáticos.... E isto parece não ser egoísta, o seu desejo ser o desejo de Deus! As decisões sobre a vida e a morte e a violência vão prevalecer...Um futuro brilhante encontra-se diante de nós.

SzeneChecker: O aniversário da banda foi recentemente, 15 anos de idade. Olhando para trás, há alguma coisa que você gostaria que fosse feito de forma diferente?

Chris Pohl: Selecionar uma melhor localização. Mas você quer dizer, é claro, nos 15 anos... Sim, eu tinha algumas pessoas que não foram trazidas para a banda, que agora já não tem como... No início, era muito casual e muito bom... Levou anos de nós, que agora estamos alcançando rapidamente... Caso contrário, eu acho que nós fizemos tudo certo.

SzeneChecker: Qual artista você gostaria de trabalhar?

Chris Pohl: Pffff porque não há muitos .... Mas se Trent Reznor e Martin Gore pedir, eu não diria "não".

SzeneChecker: Existe um lugar ou um local onde você gostaria de tocar novamente?

Chris Pohl: O2 World, em Berlim - Fácil de ver como tudo fica a partir do palco.

SzeneChecker: Finalmente, você pode livrar-se de mim com saudações aos seus fãs.

Chris Pohl: Permaneçam fortes nesses tempos! Acredite em você e não deixe de impor a sua fé. Seja diferente, porque essa é a melhor escolha.

Obrigado pela entrevista!
Por questões judiciais o título do álbum foi alterado para Save Us
Entrevista por: Fabian Bernhardt - SzeneChecker
Traduzido por: Paulo Fernandes - Blutengel Brasil

Para ler a entrevista no idioma original clique aqui.
"Um bom presságio" para Blutengel - Chris Pohl na entrevista. "Um bom presságio" para Blutengel - Chris Pohl na entrevista. Reviewed by Blutengel Brasil on terça-feira, fevereiro 03, 2015 Rating: 5